Sobre a autora

Daniela Medina nasceu em 1991, em Salvador, Bahia. Foi a partir de sua incursão no mundo do vegetarianismo, no ano de 2017, quando começou um processo de conscientização sobre seus hábitos e as formas de viver em maior harmonia com a natureza. A partir disso, a sustentabilidade ofereceu um mundo de possibilidades para desenvolver mudanças de maior alcance tanto em sua vida como na vida dos outros. No ano de 2018, ela criou a mandacaru.eco, uma empresa que proporciona soluções para um dia a dia com menos resíduos, tanto por meio da substituição de produtos específicos como em formato de consultorias a empresas destinadas a atingir os objetivos do movimento lixo zero.

Bem-vinda(o) à sua jornada sustentável!
Bem-vinda(o) à sua jornada sustentável! Há muito tempo, temos tido acesso a inúmeros debates acerca de atitudes que devemos incorporar à nossa rotina de modo a preservar a natureza, como economizar água, energia, combustível e reciclar. Porém, pouco se fala em outras mudanças, como quais fornecedores escolher, ler os rótulos dos produtos que consumimos e reutilizar mais coisas em casa. Precisamos de ações que vão além do básico que ouvimos na escola, ter mais cuidado com o que e de quem consumimos, repensar o que realmente necessitamos e, consequentemente, comprar menos. Por isso, a proposta aqui é aprendermos a fazer coisas simples e econômicas em casa, recriar outras que já possuímos, ressignificar o que consideramos lixo e entender que menos é mais. Vai ser bom tanto para nós quanto para nosso planeta, que está nos implorando por essas e outras mudanças.

PANORAMA DOS RESÍDUOS NO BRASIL
Vivemos em um país onde a coleta de resíduos apresenta déficits preocupantes, os catadores são pouco valorizados e trabalham em condições de risco e onde o descarte é indiscriminado. De acordo com a Associação Brasileira das Empresas de Limpeza Pública (Abrelpe), hoje, cerca de 8% do volume de resíduos produzido no Brasil (6,3 milhões de toneladas) não é, sequer, coletado e 40% do que é coletado é descarregado em lixões ou aterros que não garantem a integridade do meio ambiente ou da população local.
No Brasil, menos de 2% do plástico que consumimos é reciclado e cada um de nós produz cerca de 1 quilo de resíduo por dia (WWF). De acordo com a mesma fonte, só nos oceanos, há cerca de 300 milhões de toneladas de plástico. Há que se falar também dos monstros invisíveis: os microplásticos, que são praticamente imensuráveis e contaminam silenciosamente.
Eles chegam às nossas casas em forma de embalagens, aparentemente indispensáveis, e acabam nos oceanos, onde são degradados até ficarem invisíveis aos olhos humanos. Ainda ali, a eles são agregadas toxinas, são ingeridos pelas menores criaturas aquáticas e vão subindo na cadeia alimentar até voltarem às nossas casas, desta vez, em forma de alimento.
Portanto, em vez de apenas esperar pelas autoridades resolverem problemas estruturais, precisamos diminuir a quantidade de resíduos que sai das nossas casas para os aterros e lixões, e isso só é possível com uma reeducação acerca dos nossos hábitos de consumo. É justamente por isso que você está aqui nessa jornada.

Panorama dos resíduos no Brasil
Vejamos alguns números sobre a produção e coleta de resíduos em nosso país.

O QUE É SUSTENTABILIDADE?

Viver de forma sustentável, resumidamente, significa utilizar os recursos que precisamos sem prejudicar as futuras gerações. Na prática, isso quer dizer: consumir de forma consciente, evitar o que é desnecessário, conhecer quem produz o que consumimos e preservar a natureza. Isso envolve uma simples ida ao supermercado, a escolha do meio de transporte que utilizamos, a opção por uma matéria-prima em detrimento de outra e o que colocamos no nosso prato diariamente.

OS R’S DE UMA VIDA COM MENOS LIXO

A utilização dos R`s quando se fala em sustentabilidade é uma forma de conscientização sobre os resíduos que produzimos, sugerindo ações que resultam na transformação de nossos hábitos e valores. Eles compõem uma pirâmide em cujo topo está o ato de recusar e que tem como base o ato de compostar (rot, em inglês).

Os R’s de uma vida com menos lixo

RECUSAR tudo que você não precisa, o desnecessário (do saco que te dão na farmácia ao canudo para o suco, da sua via do cartão de crédito ao talher descartável).
REDUZIR o volume de resíduos que gera ao consumir só o que necessita, desperdiçando menos (das roupas novas que compra à quantidade de vezes que usa a máquina de lavar na semana).
REUTILIZAR sempre que possível, materiais que seriam descartados (das caixas de papelão ao pote de vidro de azeitonas).
RECICLAR materiais transformando-os em algo novo. Em casa, você deve separar os resíduos secos e encaminhar para a coleta seletiva da sua cidade. Há coletas diferentes para cada categoria de material (os mais comuns são: papel, vidro, plástico e metal). Pesquise onde podem ser depositados itens como baterias e pilhas, lâmpadas, óleo de cozinha, armações de óculos, embalagens de remédios e outros resíduos mais específicos.
ROT (COMPOSTAR) os resíduos orgânicos é transformá- los em adubo para a terra e diminuir significativamente a quantidade de matéria que vai para os lixões. Mais à frente, há uma sessão que trata exclusivamente deste tema.
Há correntes que incluem na lista alguns outros R’s: repensar (o consumo), reparar (objetos que tenham conserto), respeitar (a vida, os seres vivos, as pessoas, a natureza), responsabilizar-se (por seus atos) e repassar (conhecimentos e coisas). Todos fazem muito sentindo e vale a pena praticá-los também.

VOCÊ É UM CONSUMIDOR CONSCIENTE?

De acordo com o Ministério do Meio Ambiente, o consumidor consciente leva em conta o meio ambiente, a saúde humana e animal, as relações justas de trabalho e questões como preço e marca consciente ao escolher os produtos que compra; sabe que pode ser um agente transformador da sociedade por meio do seu ato de consumo; busca o equilíbrio entre a sua satisfação pessoal e a sustentabilidade; dissemina o conceito e a prática do consumo consciente e valoriza as iniciativas de responsabilidade socioambiental das empresas. Dessa forma, o consumidor consciente contribui de forma voluntária, cotidianamente e solidariamente, para garantir a sustentabilidade da vida no planeta.

Você é um consumidor consciente?

Agora pare um momento, observe as imagens abaixo e reflita sobre elas. Você se identifica com alguma delas? Sente-se parte disso ou não se enxerga como agente integrante dessa realidade? Se não consegue visualizar estes elementos no seu dia a dia, ao longo desta leitura isso vai mudar e sua maneira de lidar com seu consumo e seus resíduos será outra.

ADIANTA MUDAR SOZINHO?

Sim! Sempre bate aquela dúvida sobre estar fazendo algo sozinho enquanto um monte de gente ainda pratica hábitos nocivos, e eventualmente utilizamos esse pensamento para justificar a nossa inércia quanto à mudança de hábitos. No entanto, para ilustrar que devemos pensar de forma positiva e fazer o que está ao nosso alcance, lembremos da metáfora do beija-flor:

“Houve um incêndio na floresta e enquanto todos os bichos corriam apavorados, um pequeno beija-flor ia do rio para o incêndio levando gotinhas de água em seu bico.
O leão, vendo aquilo, perguntou para o beija-flor:
-Ô beija-flor, você acha que vai conseguir apagar o incêndio sozinho?
E o beija-flor respondeu:
-Eu não sei se vou conseguir, mas estou fazendo a minha parte”.

o pouco que posso.“

ITENS REUTILIZÁVEIS X DESCARTÁVEIS

A fabricação de descartáveis plásticos envolve a liberação de uma série de resíduos no meio ambiente, como polietileno, polipropileno e aparas do processo de corte e acabamento. Além disso, muita água e energia são gastas no processo de produção de itens que serão utilizados apenas uma vez e depois descartados. Sem dúvidas, o maior impacto no consumo de água global não deriva do ato de lavar o seu copinho, mas sim da utilização deste recurso nas grandes indústrias e na agropecuária.
Portanto, é melhor optar por itens que sejam laváveis e reutilizáveis considerando a sua durabilidade. Lavar itens duráveis, como o seu própria garrafa ou absorvente, não causa danos maiores ao ambiente do que as versões descartáveis destes mesmos itens. Nesse ritmo, de grão em grão, vamos fazendo cada um a nossa parte e contagiando mais pessoas ao nosso redor.
A partir de agora, vamos conhecer ingredientes mais naturais, alternativas, receitas e atitudes para adotar em nossa rotina sustentável e assim, pouco a pouco, reeducar hábitos e deixar de contribuir para esta cadeia

INGREDIENTES ESSENCIAIS NO DIA A DIA SUSTENTÁVEL
Óleo de Coco
Este é um ingrediente muito versátil que vai muito além de preparações alimentícias. Na pele serve como pré e pós depilatório e barbear, para melhorar a pele ressecada e pós sol. Nos cabelos serve para umectação capilar (pré lavagem), finalizador e reparador de pontas. No rosto como removedor de maquiagem e para tratar outros problemas como manchas e espinhas. É também um óleo carreador, ou seja, serve para diluir óleos essenciais que não podem ser aplicados na pele diretamente. Exemplo: para tratamento de espinhas mistura-se o óleo de coco com o óleo essencial de melaleuca.

Vinagre Branco (Vinagre de Álcool)
Na limpeza ele é um coringa. Serve para vidros, pisos, carpetes, espelho, rejuntes, como desengordurante, anti- mofo, em roupas, entre outros. Além de barato, é versátil e fácil de encontrar.

Bicarbonato de Sódio
O bicarbonato é tão útil na limpeza da casa como na higiene pessoal. A substância, que tem baixo custo e é fácil de encontrar, é indispensável quando se começa a fazer os próprios produtos. Desodorantes, pastas de dente, xampu, detergente e sabão em pó são algumas das opções do que se pode fazer com esse composto.

Sabão de Coco
Geralmente, é mais natural e tem poucos ingredientes na composição. Pode ser transformado em vários produtos de limpeza diferentes, como sabão em pó e detergente líquido. Pode ser usado também para tratar os cabelos e a pele, basta buscar uma fabricante confiável e observar os ingredientes.

Óleos Essenciais (OEs)
Além de aliados da aromaterapia, podem ser usados para fazer receitas de milhares de cosméticos e produtos de limpeza. São potentes na cura de diversos problemas de saúde. Quando aprendemos a fazer os nossos ou escolher melhores cosméticos, percebemos o quão presentes são esses óleos, pois são mais naturais e nos oferecem inúmeros benefícios.

Vinagre de Maçã
Excelente em cuidados com o rosto e com os cabelos, podendo substituir condicionadores e tônicos faciais. Na limpeza ele limpa vidros, móveis, azulejos e pode ser até amaciante de roupas. Nos cuidados íntimos femininos, é muito poderoso em banhos de assento.

Vinagre de Maçã Caseiro Ingredientes
1 ½ kg de MAÇÃs
Modo de preparo
LAVe bem AS MAÇÃs, retire AS CASCAS e sementes e pique em pedAÇOs. BAtA A frutA no liquidifICAdor ou no procesSAdor Até obter UMA PAStA. Coe bem A PAStA com UMA peneirA fiNA e coloque o suco em UMA GARRAFa de vidro esterilizADA ou de BARro. TAMPE A GARRAFa e deixe longe do sol A umA tempeRATURA entre 18°C e 30°C por 6 seMANAs. Após esse tempo, leve o recipiente PARA receber luz soLAr por 3 DIAS. PASSAdos esses DIAS, o seu vinAGRE estÁ pronto! GUARDE em um loCAl seco e AREJAdo, NUNCA NA gelADEIRA.

Seliga!
Esta receita custa em torno de R$ 5,00. A partir daqui, experimente calcular o custo de cada receita que aprender na sua jornadaecomparar oquanto gastaria com o mesmo item industrializado.

Alguns óleos essenciais poderosos
Melaleuca (tea tree) – Poderoso imuno estimulante. Antiviral, bactericida e fungicida. Tratamento do couro cabeludo, micoses, abscessos e verrugas. Ajuda a combater doenças infecciosas. Usado em feridas, furúnculos e espinhas. Queimaduras, picadas em geral e cortes.
Alecrim – Estimula a memória e a concentração. Alivia o cansaço físico e mental, dores musculares e reumáticas. Estimulante capilar e circulatório.
Citronela – Ativa a criatividade, estimulante. Dores reumáticas e excesso de transpiração. Antisséptico e repelente de insetos. Ótimo germicida e parasiticida.
Hortelã-pimenta – Estimula o cérebro e clareia os pensamentos. Expectorante, refresca, tônico digestivo. Alivia dores de cabeça, musculares e reumáticas. Fadiga mental. Ameniza coceiras e queimaduras de sol.
Lavanda – Restaura o corpo, a mente e as emoções. Alivia tensão, cansaço, depressão, insônia, dores de cabeça, musculares e reumáticas. Regenerador celular e poderoso cicatrizante para queimaduras, cortes e feridas.
Laranja doce – Ameniza a ansiedade, tensão e estresse. Insônia e depressão. Digestivo e regulador do sistema linfático. Celulite, obesidade, retenção de líquidos. Pele e cabelos secos.
Limão Siciliano – Ativa a concentração. Tônico geral e purificador do organismo, imuno-estimulante, antivirótico e anti-infeccioso. Alivia cansaço físico e mental.

INGREDIENTES PARA EVITAR

Estes são alguns dos vilões escondidos nos rótulos que raramente lemos. Seus nomes geralmente vêm escritos em inglês ou em siglas que dificilmente entendemos. Muitos deles são cancerígenos; causam alergias; problemas hormonais, dermatites; interferem nos hormônios; acabam nos rios e mares, matando seres e poluindo o meio ambiente. É importante passarmos a ler cuidadosamente os ingredientes dos produtos que escolhemos nas prateleiras e recusarmos aqueles que são prejudiciais ao nosso corpo e à natureza. Ao lado de cada nome há como eles são mencionados nas embalagens e alguns exemplos de produtos nos quais são encontrados.

Químico Onde está presente
Ácido Bórico Pomadas, talcos, cremes
Alcatrão de carvão ou alcatrão de hulha Cosméticos diversos
BHA e BHT (butylated hydroxyanisole, butil-
hidroxianisol, butylated hydroxytoluene, butil- hidroxitolueno)
Maquiagens, antitranspirantes
Chumbo (lead acetate, lead) Tintura para cabelos, esmaltes, batons
DEA, cocamide DEA, MEA e TEA (diethanolamine, dietanolamina, monoethanolamine, monoetanolamina, triethanolamine, trietanolamina)
Detergentes, xampus
Formaldeído e liberadores (DMDM hydantoin, diazolidinyl urea, imidazolidinyl
urea, methenamine ou quaternium-15) Produtos para alisamento capilar, esmaltes
Ftalatos e plastificantes (DBP,
DEP, dibutilftalato, phthalate, DMP, DINP, DEHP, polyethylene, polythene, PE, phenoxyethanol)
Cosméticos, materiais plásticos
Liberadores de dioxano (polyethylene glycols,
polyethylene, polyoxyethylene e ceteareth) Cosméticos, absorventes descartáveis,
produtos de limpeza
Oxibenzona (oxybenzone ou benzophenone-3) Protetores solares, protetores labiais
Parabenos
(methylparaben, butylparaben, propylparaben) Maquiagens, loções, óleos
Parfum (perfume) Perfumes, cosméticos, produtos de
limpeza
PEGs (polyethylene glycol, polietilenoglicol) Produtos de limpeza, medicamentos,
cosméticos
Petrolatos (petrolatum, vaselina, parafina) Cosméticos, remédios, antitranspirantes
Silicones
(siloxanes, cyclotetrasiloxane, cyclopentasiloxane, cyclohexasyloxane e cyclomethicone)
Produtos de limpeza, cosméticos
Sulfatos (sodium laureth sulphate, sodium lauryl ether
sulfate e sodium lauryl sulphate) Pastas de dente, produtos de limpeza,
cosméticos
Triclosan (triclosano) Sabonetes, pastas de dente,
desodorantes
Triclocarban Cremes faciais, antitranspirantes,
sabonetes
Tolueno ou metilbenzeno (toluene, methylbenzene) Esmaltes, produtos de limpeza,
cosméticos

A lista não se esgota aqui, mas já nos serve de alerta para termos mais atenção sobre as muitas coisas que passamos no corpo, ingerimos e usamos na limpeza doméstica. Agora, é abrir os olhos e gastar um tempinho analisando o que compramos.
É importante também ter um olhar mais crítico para aqueles que produzem tudo isso. Tratam-se de empresas responsáveis pelo meio ambiente e pelas pessoas? São monopólios ou oligopólios? Praticam preços justos? São transparentes? Testam seus produtos em animais? Utilizam partes de animais em seus ingredientes? Estão em dia com suas obrigações?
É difícil conseguir saber tudo isso de empresas grandes e descentralizadas. Porém, se pesquisarmos em fontes confiáveis e cobrarmos, conseguimos algumas respostas. O site Behind the Brands (https://www.behindthebrands.org/) é um exemplo de ferramenta útil para ter acesso ao que está por trás de algumas marcas do ramo de alimentos. Já no site da ONG PEA – Projeto Esperança Animal (http://www.pea.org.br/), é possível pesquisar marcas que não realizam testes de seus produtos em animais e, a partir daí, fazer melhores escolhas quando for às compras.
Ao nos aprofundarmos nestas pesquisas, vamos percebendo que muitas empresas monopolizam o mercado e nos deixam com menos opções. Elas são detentoras de marcas menores e, juntas, são muito fortes no mercado e muitas estão implicadas negativamente em assuntos relacionados ao clima, água, agricultores, animais, mulheres e transparência. Por isso, é muito importante que tenhamos o hábito de pesquisar para que possamos cobrar melhores práticas de todas as marcas e selecionar aquelas comprometidas, em termos de sustentabilidade.
A partir das ações listadas acima, podemos definir de quem comprar, o que dispensar e o que fazer por conta própria. Dá para deixar de consumir de muitas empresas grandes e duvidosas se começarmos a produzir algumas coisas em casa. Para isso, a partir desse ponto, vamos mergulhar em um mundo de novas, e nem tão novas, soluções sustentáveis para seu dia a dia.

“A únICA decisão étICA é ASsumir A RESPONSABILIDADE por NOSSA PRÓPRIA EXISTÊNCIA e pELA de nossos filhos.” Bill Mollison

CASA E LIMPEZA

Limpeza doméstica sustentável é um assunto que gera certa polêmica, pois a indústria destes produtos nos fez acreditar que precisamos de muitos perfumes, espuma e brilho para atestar que a higienização foi efetiva. E, nessa linha, nos acostumamos a comprar produtos abrasivos, que irritam os olhos e a pele e agridem o meio ambiente, com a ilusão de que só estes limpam de verdade. Contudo, a limpeza pode ser muito mais simples, barata e não causar tantos desequilíbrios ecológicos. Para isso, sempre tenha em casa bicarbonato de sódio, vinagres de álcool e maçã, sabão de coco e álcool. Com estes ingredientes em mãos, vamos aprender algumas receitas fáceis e com baixo impacto ambiental.

Casa e limpeza

Sabão de Coco em Pó Ingredientes
 2 XíCARAs de SAbão de coco em bARRA (+/- 200g)
 2 XíCARAs de BICArboNAto de sódio
 OpcIONAl – OE de limão, meLALEucA, LAVAndA
Modo de preparo
RAle A bARrA de sABÃo, coloque no liquidificAdor, bATA DEVAgAR (com o modo pulSAr) ATÉ ficAR qUASE pó, ACrescente o bicArboNAto e o óleo ESSENCIAl (se for usAR) e bATA ATÉ FICAr fininho. GuARde em um pote de vidro.

Amaciante de coco Ingredientes
 10g de BICArboNAto de Sódio
 200ml de ÁGUA quente
 800ml de VINAgre de MAÇã
 20 GOTAS de óleo ESSENCIAl DA suA preferêncIA
Modo de preparo
Misture o bicARboNAto À ÁGuA quente, ADicione o vinAGre de mAÇã e Após esfriAR, o óleo essenciAL. Misture bem e coloque em um recipiente com TAMPA. Agite ANtes de usAR.

Detergente de Coco
Ingredientes
 3 litros de ÁGUA
 1 bARRA de SABão de coco RAlADA (evite AS que têm gorduRA ANIMAL)
 50 ml de ÁLCOOL 70º ou 90º ou VINAgre de ÁLCOOL
 3 CS de bICArboNAto de sódio
 20 GOTAS de OE de limão sicilIANo (opcIONAl)
Modo de preparo
Em umA PANElA, coloque A ÁGuA pARA ferver. QuANdo comeÇAr A ferver, junte o sABão de coco rALADo e meXA devAGAr, com uMA colher de PAU GRAnde, ATÉ o sABÃo dissolver completAMENTe. Desligue o fogo e ACrescente o ÁLCOol. Junte o bicARbONAto de sódio. QUAndo A misturA ESFRIAR, ACREscente o óleo essenciAL de limão siciliANo (este deve ser COLOCAdo com A misturA friA PARA que não EVApore). Reutilize AS embALAGens de detergentes ANtigos PARA COLOCAr estA receitA.

Desinfetante cítrico Ingredientes
 VINAgre de ÁLCOOl
 CASCAs de FRUTAS cítricAS (lARANJA, limão, TANGERINA)
Modo de preparo
Coloque AS cAScAS numA GArrAFA, cubRA com o vinAGre e deixe descANSAr por duAS semANAS. A infusão serve pARA limpAR superfícies como vidro,
AZulejos, pisos e MÁRMOre.

Bucha vegetal
A bucha sintética que estamos acostumados a utilizar vem do petróleo, é difícil de ser reciclada e dura milhares de anos no meio ambiente. Já a bucha vegetal vem da trepadeira luffa, é mais higiênica, biodegradável, compostável e ideal tanto para o banho quanto para pratos e outras superfícies. Seu preço médio é R$ 5,00.

Toalhas de tecido
Os rolos de papel toalha convencionais e descartáveis não são recicláveis, consomem muita água e demandam o desmatamento de árvores no processo produtivo. Para reduzir a geração deste resíduo, as tolhas de tecido são opções para considerar. Elas são ideais para limpar superfícies e dão um toque especial à cozinha. É possível fazê-las em casa ou encomendá-las com um profissional da costura.

Acondicionamento de alimentos

A utilização indiscriminada do plástico em nosso dia a dia é tão intensa que, na maioria das vezes, sequer precisamos ou pedimos, ele simplesmente está ali! Nos legumes enrolados no mercado ou no bolo da padaria, a invenção nos deixou um tanto mal acostumados. O primeiro passo para não levar PVC plastificado e policloreto de vinila (sim, é disso que ele é composto) para casa é evitar os alimentos que já vêm embalados. Cobre do comerciante a responsabilidade por aquele resíduo e recuse levá-lo. Alguns mercados estão resgatando um hábito antigo que é usar folhas de bananeira para enrolar alimentos. O segundo passo é deixar de comprar os rolos de filmes flexíveis e buscar outras opções como as que estão listadas abaixo.

Acondicionamento de alimentos

Panos encerados
Esta alternativa, que se popularizou recentemente, ainda não é conhecida por muitos, porém tem bastante potencial para alcançar muitas residências devido à sua praticidade e compatibilidade com diversos tamanhos de alimentos e recipientes. O paninho pode ser feito com cera de abelha ou de carnaúba (melhor opção, por ser uma cera vegetal) e usado da seguinte maneira: posicione o pano no objeto que deseja cobrir e aperte com as mãos até ele aderir completamente à superfície. A cera se molda com o calor das mãos. Pode ser usado para cobrir vasilhas, pequenos lanches na bolsa, frutas e o que mais quiser. Para conservá-lo, basta lavar rapidamente e deixar secar, a cera dura meses. Cada unidade custa em torno de R$ 15,00.

Tampas de silicone
As tampas de silicone são uma opção também recente e excelente, pois garante a conservação e evita a transmissão do cheiro de um alimento para outros. As tampas flexíveis, por serem de silicone, são seguras e não liberam substâncias nocivas nos alimentos. São facilmente encontradas na internet, em diversos tamanhos e o valor de cada uma pode variar de R$

ALIMENTAÇÃO

Proteínas
Para consumir de maneira mais sustentável, é necessário conhecer cada vez mais a origem dos nutrientes que necessitamos. É essencial também saber que algumas indústrias consomem recursos demasiados e são grandes responsáveis pela degradação do meio ambiente e, eventualmente, pelo sofrimento animal. Uma destas indústrias é a indústria da carne e na imagem abaixo estão algumas informações que podem te motivar a reduzir o consumo deste tipo de proteína.

Para te ajudar a reduzir este consumo, deixamos aqui algumas fontes de proteína de origem vegetal e seus percentuais de proteína já que a identificação destas alternativas parece ser a maior preocupação das pessoas quando o assunto é consumir menos itens de origem animal. Este é também um apelo para que mais pessoas incluam vegetais nas refeições em vez de industrializados.

Além dos itens que compõem o quadro, há também o tofu (queijo de soja), sementes como gergelim, chia e linhaça, as oleaginosas como amêndoas, pistache, avelã, noz, amendoim e grãos como feijão, grão de bico, quinoa, aveia e lentilha. A lista é enorme! Se você ainda consome carnes vermelhas e brancas, que tal começar a cortar estes alimentos uma vez por semana ou de uma das refeições do dia? A sugestão é diminuir gradativamente e perceber os benefícios que uma alimentação sem animais vai trazer para seu corpo e para o meio ambiente. Basta abrir a cabeça um pouco e pensar em outras maneiras de montar um prato nutritivo e com menores impactos no meio ambiente.
Para te motivar, na próxima página há uma receita de hambúrguer totalmente livre de carnes e derivados de animais.

Hambúrguer de beterraba Ingredientes
 2 beteRRABAs RALADAS
 1 ceBOLA picADA
 1 ½ xícARA de feijão cozido (escOLHA o seu preferido)
 1 xícARA de ARroz cozido
 SAL A gosto
 PimENTA do reino, SALSINHA e ORÉGAno
 Azeite de OLIVA
Modo de preparo
Em UMA frigideiRA, refogue A cEBOLA, depois ACREScente A beteRRABA e o SAL e reserve. Em UMA TIGELA, AMAsse bem o feijão e o ARroz, depois Acrescente A beteRRABA REFOGADA e os temperos. Molde os HAmbúrgueres com AS mãos e frite no AZeite de oliVA ou leve AO forno por vOLTA de 20 minutos, ou ATé ASSAREm COMPLETAmente. SIRVA com pão, tomATe, ALFAce e FATIAS de ABACATE ou APENAS com SALAda e um bom molho.

32

Leites
Assim como a indústria da carne, a indústria do leite também reúne práticas com impactos ambientais significativos. A crueldade está presente em todos os seus processos, a começar pela separação das vacas dos seus filhotes para a ordenha do leite. Quanto maior a indústria, maior a exploração animal, configurada pelos pequenos espaços que estes animais têm de dividir e pela aplicação de uma série de hormônios. Infelizmente, o leite de vaca foi inserido em nossa alimentação como um item quase insubstituível, mas, adivinhe(!), é possível e não é difícil substituir o leite no dia a dia. Aveia, coco, amêndoas, castanhas são alguns alimentos que podem virar leites deliciosos. Vamos aprender agora uma receita de leite vegetal bem simples e barata.

Leite de amendoim Ingredientes
 2 CS de PASTA de AMendoim inteGRAl
 500ml de ÁGUA
Modo de preparo
BATA os dois ingredientes no liquidIFICADor por 3 minutos, PAsse em UMA peneIRA fiNA e ESTÁ pronto. IdeAL PARA servir com CAFÉ, PARA FAZEr bolos, pães, MINGAus e VITAMINAS. Se quiser o leite sem nenhum resíduo, coe com um voAL.

Orgânicos/Agroecológicos
Produtos orgânicos, agroecológicos, ou de agricultura familiar são livres de agrotóxicos, pesticidas, adubos químicos ou sementes transgênicas. As vantagens desta maneira de produzir são a colheita de alimentos mais saudáveis e naturais, preservação do solo, que fica mais fértil e livre de toxicidades e manejo sustentável do meio ambiente, mantendo-o em equilíbrio. A agricultura orgânica valoriza pequenos produtores rurais, fomentando a economia local e conservando a fertilidade da terra, mantendo o solo rico e cultivável a cada ano. É também uma forma de preservar a fauna regional e a saúde da água. A agricultura familiar e os pequenos produtores são importantes para valorizar feiras de produtos locais e pequenos varejistas, possibilitando maior distribuição de renda localmente.
Optar por “comidas de verdade” também tem o benefício da compra com menos embalagens, visto que é mais fácil recusar plásticos, isopor e outros recipientes de um pequeno produtor do que em um supermercado. Entre orgânico e agroecológico, o segundo ainda é a opção que mais valoriza os pequenos produtores e comunidades. Para começar a incluir alimentos livres de químicos em seu cardápio, busque feiras e barracas próximas à sua casa ou serviços de entregas a domicílio e procure por certificações e selos que atestem que os produtos são 100% naturais. Na internet é possível encontrar listas de feiras e entregas deste tipo.

Aproveitamento Total de Alimentos
Na nossa rotina desperdiçamos muitos alimentos por falta de conhecimento, receio ou preguiça. No entanto, na hora de cozinhar, há muitas formas de ser mais sustentável. Umas delas é tentar aproveitar ao máximo cada alimento. Tal prática, além de reduzir a produção de resíduos, nos permite aproveitar os benefícios do alimento em sua totalidade.
Aqui vai uma lista de cascas, talos e sementes de legumes e frutas que não costumamos ingerir e que descartamos indiscriminadamente.

Casca de banana
– almôndegas, pão ou refogada Casca de melão
– suco, salada ou geleia Ramas de cenoura
– saladas, molho pesto

Casca de abacaxi
– chá Casca de maracujá
– geleia, chá ou como
farinha em sucos,
cookies, pães e bolos
Folha de beterraba
– saladas ou refogada
Casca de laranja
– chás, bolos e sobremesas Casca de abóbora
– chips, geleias ou doces Talho de couve
– refogado, farofa e suco
Casca de manga
– suco, sorvete Semente de melão
– leite ou torrada em
saladas Semente de melancia
– torrada em saladas
ou pura
Entrecasca de melancia
– farofa, geleia,
compota ou refogada
Casca de chuchu
– assado, suflê, chá Semente de abóbora
– torrado em saladas e
frutas

Para ilustrar esse mundo de possibilidades, vamos aprender a usar todo o melão e não gerar nenhum resíduo.
Suco de melão cremoso

BAtA no liquidifICAdor melão, sumo de LARANJA, gengibre e gelo.
Salada com casca de melão
Ingredientes
 CASCAS de 1 melão
 1 CS de AZeite
 3 CS de iogurte NATURAL
 1 CS de hortelã PICADA
Modo de preparo
LAVe bem AS CASCAS, corte-AS em lASCAS fiNAS e depois CUBRA com ÁGUA PARA cozINHAR. Tire A ÁGUA, deixe esfriAr e tempere com AZeite, iogurte NATURAL (se possível umA versão veGANA) e hortelã PICADA. Leve À GELAdeIRA por uns 20 minutos e siRVA.

Leite de caroço de melão

Retire os CAROços DA frutA, BATA no liquidifICAdor com MAIs ou menos 300ml de ÁGUA e coe. Esse leite fiCA ótimo em vitAMINAS e smoothies.

Chás
Para fazer um chá sem geração de resíduo e com maior aproveitamento das propriedades das ervas, basta deixar de comprar chás industrializados e optar pela erva a granel. Os pacotes de chás vendidos em mercados vêm com embalagens desnecessárias (o plástico que envolve a caixa, a caixa, o plástico ou papel que envolve cada sachê e o sachê em si). Quando optamos por comprar a erva em uma embalagem de plástico ou papel ou por comprá-la a quilo (com seu próprio pote, por exemplo), estamos reduzindo significativamente o volume de resíduos.
Após comprar a erva da sua preferência, você pode fazer o chá de várias formas bem divertidas:

 Infusor de inox
 Infusor de tecido
 Infusor de silicone

Cafezinho
Um café sem resíduo também pode ser feito de diversas maneiras. Para começar, vamos ver a opção que devemos evitar: as cápsulas de café expresso. Elas são descartáveis e poucas empresas fazem a logística reversa. Ao invés delas, opte pelas cafeteiras italiana ou francesa ou por coadores de algodão, por exemplo.

 Cafeteira italiana
 Coadores de algodão
 Cafeteira francesa

 Dicas para um café delicioso e sustentável:
 Use café orgânico
 Prefira os que vêm em embalagens de papel
 Acrescente uma pitada de canela para dar um sabor especial
 Se você curte café com leite, experimente com o de amendoim. Fica muito bom! Veja a receita do leite na parte de Alimentação
 Utilize a borra do café para adubar as plantas ou nas receitas em Cuidados com Corpo e Rosto.

“O MAIOr de todos os erros é não FAZER NADA só porque se pode FAZER pouco. FAÇA o que lhe for possível”.
Sydney Smith

COMPOSTAGEM
A compostagem é um processo de transformação de resíduos orgânicos (restos de frutas, verduras, legumes) que pode ser feita com baldes, galões de água, caixas plásticas, pode ser comprada pronta ou feita diretamente no solo, para quem tem quintal, e que não necessita de grande espaço.
O sistema consiste, basicamente, em depositar seus resíduos orgânicos no local escolhido, cobri-los com serragem ou folhas e grama secas e deixar que o processo aconteça.
Em uma composteira pode ou não haver minhocas. Você decide. Com elas, o processo de transformação da matéria orgânica em adubo é mais rápido. Caso opte por tê-las, as cascas de frutas cítricas, cebola, alho e temperos verdes devem ser evitadas, pois machucam a pele delas. Sem as minhocas, o processo é um pouco mais lento, mas te permite incluir os itens citados anteriormente.
Os dois grandes produtos resultantes deste processo são o adubo sólido (húmus) e o líquido. Eles são muito nutritivos para as plantas. O primeiro deve ser misturado à terra e o segundo diluído em água na proporção de 1:10 (100 mL a cada 1 L de água) para regar as plantas e de 1:15 (100 mL a cada 1,5 L de água) para borrifar nas folhas.
Ao contrário do que se pode pensar, esta prática não atrai animais como baratas ou ratos para o seu ambiente, pois ficará sempre fechada. Os insetos que surgirem dentro da composteira não são, em sua maioria, prejudiciais. Fezes animais, carnes e alimentos cozidos não são permitidos. As composteiras prontas custam a partir de R$ 120,00, mas, caso opte por fazer a sua com baldes, você gastará menos
40
de R$ 20,00.

Faça sua composteira em casa

Material necessário
• 3 bALDES PLÁSticos de 10 litros com TAMPA
• Estilete ou FACA de PONTA
• FURADEIRA
• BROCAS no 5 e no 1 (ou no 1,5)
• TorneIRA pequENA (opcIONAl)
Como fazer
Os bALdes podem ser comprADos me PADARiAS (custAM em torno de 4,00) ou em CASAs de MATERIAl de construção.
Numere os bAldes em 1, 2 e 3. NAS tAMPAs 1 e 2, ABRA um burACo redondo um pouco menor que o fundo dos BAldes com o estilete. Nos bALDES 2 e 3 fAÇA furos com A brocA número 5 no fundo, com o esPAço de MAIS ou menos dois dedos entre eles. Com A brocA número 1, fAÇA furos NAs lATERAIS (bem próximo À bocA dos recipientes) dos bALDES 2 e 3 e NA TAMPA do bALde 3. PARA montAR suA composteIRA, coloque o bALde 1 embAIXO, o 2 no meio e o 3 no topo. Se OPTAR por coloCAr umA torneirA, FAÇA um corte redondo NA bASe do recipiente com o estilete e ENCAixe-A. ESTA servirÁ pARA retIRAr o chorume sem precISAr desmontAR A composTEIRA.
PARA comEÇAr A compoSTAR, coloque umA cAMADA de dois dedos teRRA no bALDE 3, ADicione os resíduos orgÂNicos DA suA cozinhA e cubrA com MATÉRIA SECA (poDAs de ÁRvore, grAMA, SERRAGem ou pALhA). A pARTIr DAí, CADA vez que colOCAR MAis resíduos, ADicione mAIs umA cAMADA de secos, ATÉ compleTAR o bALde. Após completo, troque o bALDE 3 de lugAR com o 2 e comece A depoSITAr nele novos resíduos. PAssADos MAis ou menos 30 dIAs, o BALDE 2 ESTARÁ cheio de resíduos e o composto do bAlde 3, pronto pARA o consumo (utilize nAS plANtAS, misTURAndo À teRRA). Após um tempo, um chorume APAREcerá no bALde 1 e ele pode ser usADo
como fertilIZAnte líquido.
41

Abaixo estão algumas empresas que comercializam
composteiras domésticas.

Sol da Terra Ambiental

42
Clique nas imagens para acessar os sites das marcas

LIXEIRAS
Para deixar de depender dos sacos plásticos nas lixeiras, você tem algumas opções:
Reaproveite os sacos de pão de papel
Não utilize sacos em todas as lixeiras. Isso mesmo. Se você ainda precisa de saco para seus resíduos, opte por apenas um e despeje os resíduos de todas as lixeiras em um saco só ao final do dia/período.
Faça os seus com jornal ou papeis velhos.
Os sacos de papel são ideais para lixeiras de banheiros e de escritórios e não são adequadas para lixos úmidos, pois podem rasgar. A ideia é a seguinte: quanto mais você aproveita os alimentos até o fim e faz compostagem, menos resíduos úmidos vão para a lixeira e, assim, o saco de lixo de papel é cada vez mais eficiente.
Segue abaixo um passo a passo de como fazer sacos em
origami com um papel quadrado.

Para ver este passo a passo em vídeo, basta acessar o link: Passo a Passo Saco de Origami

ÁGUA

De acordo com dados da ONU, os 70% de água disponível na Terra, apenas 1% serve para nosso consumo em todo o mundo. Inúmeras regiões sofrem com a escassez ou indisponibilidade de água e, em outras, está altamente poluída e imprópria para consumo. Ao mesmo tempo, nós, cidadãos e empresas, falhamos muito em preservar este recurso, talvez porque não tenhamos entendido de fato a dimensão do problema. A água é um recurso finito, aprendemos assim na escola. Será que um dia vamos aprender a cuidá-lo bem?
Veja abaixo mais algumas estatísticas relevantes disponibilizadas pela Agência Nacional de Águas.

Água

Revisemos algumas maneiras de preservar esse escasso recurso:

 Reduza o tempo nos banhos;
 Reaproveite a água da máquina de lavar para limpeza doméstica e para o vaso sanitário;
 Separe um dia para lavar todas as roupas na semana;
 Colete água da chuva e dos chuveiros para limpeza doméstica e para o vaso sanitário;
 Lave seu veículo com baldes ou em locais que tenho lava-jatos;
 Ao escovar os dentes e lavar as mãos, mantenha a torneira fechada;
 Busque por vazamentos em torneiras e chuveiros;
 Instale redutores de vazão nas suas torneiras (isto reduz a vazão de água em até 80%);
 Ao lavar frutas e legumes, mergulhe-os em um recipiente grande ou na própria pia, ao invés de lavá- las com água corrente.

ENERGIA
Vemos com frequência nos noticiários que os reservatórios de água utilizados para geração de energia hidrelétrica (nossa principal matriz energética) estão baixos, mas ainda assim nos descuidamos quando o assunto é economizar. Outro ponto, para construir uma usina hidroelétrica, por exemplo, ecossistemas são interrompidos e comunidades precisam ser deslocadas, causando desequilíbrios de ordem ambiental e social.
Se a causa global não nos atinge, talvez a financeira o faça. Adotar hábitos simples em casa pode poupar bons trocados ao fim do mês. Vejamos alguns:
 Adote lâmpadas LED;
 Não deixe aparelhos eletrônicos no modo stand-by, tire-os da tomada;
 Sempre cheque a borracha da sua geladeira e, se perceber que não está fechando bem, troque-a;
 Não abra a geladeira “para pensar”;
 Se gosta de ar-condicionado, evite usá-lo por mais de 6 horas por dia, instale-o sempre no alto e mantenha janelas e portas bem fechadas;
 Use o chuveiro elétrico com consciência;
 Aproveite ao máximo a luz do dia para fazer suas atividades;
 Escolha eletrodomésticos mais eficientes (observe a escala do Inmetro nas embalagens, quanto mais perto do A, mais eficiente);
 Se morar em casa, considere o investimento em painéis solares;
 Cuide da manutenção dos seus aparelhos elétricos;
 Utilize cores claras nos ambientes.

CUIDADOS PESSOAIS E HIGIENE

Sabemos que a indústria nos oferece inúmeras opções para cuidarmos da nossa pele e dos nossos cabelos, mas, se pensarmos como nossos ancestrais, podemos utilizar ingredientes naturais, biodegradáveis e muito mais baratos dos que vemos nas prateleiras de farmácias e supermercados. Além do mais, optando pelo mais simples, deixamos de contribuir com mega indústrias que monopolizam os mercados, testam seus produtos em animais, usam matérias-primas duvidosas e que não se importam com os impactos de suas produções no meio ambiente. Por isso, aqui vamos aprender receitas e substituições muito simples e com ingredientes simples e milagrosos!

Cabelos

Xampu e Condicionador Sólidos
Para diminuir a quase zero a quantidade de resíduos produzidos em seus cuidados com os cabelos, você pode trocar as versões tradicionais de xampu e condicionador e aderir às solidas. As soluções sólidas têm ação exatamente igual à dos que você costuma usar, mas são fabricados com matérias-primas naturais, consomem menos água no processo produtivo, geralmente são feitas por pequenos produtores e são disponibilizadas com quase zero embalagem. Além dessas vantagens, as versões sólidas são fáceis de transportar em viagens. Outra coisa legal é que os xampus também podem ser usados como sabonete e os condicionadores como hidratantes corporais.
Os xampus e condicionadores sólidos não contêm sulfatos, parabenos, pigmentos artificiais, liberadores de formol, fragrâncias artificiais e derivados de petróleo e são feitos com fórmulas ricas em óleos essenciais e manteigas vegetais. No final desta sessão, você encontrará algumas marcas que produzem estes itens.
Para fazer uma limpeza profunda, natural e gastando pouco, uma excelente opção é o esfoliante cuja receita segue logo abaixo. Ele renova as células do couro cabeludo, reduz a oleosidade excessiva, melhora a circulação sanguínea e ajuda no crescimento capilar.

Xampu e condicionador mais fáceis do mundo
Estas duas receitas são tão simples e baratas que parecem até mentira. Quando imaginaríamos que bicarbonato de sódio e vinagre fariam a limpeza e o condicionamento das madeixas?

Xampu de bicarbonato de sódio
Em UMA VAsILHA, misture uMA PARTE de BICARBONAto de sódio A 3 PARTes de ÁGUA. Esfregue A misturA nos CABElos, deixe deSCANSAR por um ou dois minutos e ENXÁGUE. ESTA receitA pode ser USADA UMA vez por seMANA ou UMA vez A CADA 15 DIAS.

Condicionador de vinagre de maçã
Em um recipiente com tAMPA SPRAy, coloque UMA medidA de vinAGRE de MAÇÃ PARA A meSMA medidA de ÁGUA e APLique nos CABElos LAvADos, MASSAGEANDO e depois ENXAGUE normALmente.

Esfoliante capilar de açúcar

Ingredientes
 2 CS de AZeite de olivA
 1 CS de AÇÚCAR

Modo de preparo e uso
Misture os ingredientes, APLIque no couro CABEludo com os fios úmidos (não precisA LAvAR) e MASSAgeie duRANTE 15 minutos. LAVe bem, sem deIXAr resquícios de AÇÚCAR ou óleo no couro cABEludo. RePITA, no MÁXImo, UMA vez A CADA 15 DIAS.

Tônico capilar de cravo e alecrim Ingredientes
 25 CRAVos DA ÍNDIA
 1 CS de ALecrim
 1 XÍCARA de ÁGUA
Modo de preparo e uso
FervA A ÁGUA, ACREscente o CRAVo e o ALecrim e deixe deSCANSAR ATÉ esfriAR. Coloque em um recipiente com um bico NA tAMPA PARA FACIlitAR A APLICAção. PASse NA RAIz dos CABElos limpos e MASSAgeie. Não enXAGUE. Pode ser APliCADo ATÉ DUAS vezes AO DIA, mANHã e noite PARA o

Rosto

Discos de limpeza facial
Os discos de algodão descartáveis contribuem para as tristes estatísticas da produção da sua matéria-prima. A plantação de algodão, em sua maioria, é transgênica, polui o solo e a água e utiliza quantidades alarmantes deste último recurso. Uma troca inteligente é substituir os discos (ou bolinhas) descartáveis por versões reutilizáveis de toalha ou crochê (importante checar se a linha utilizada é orgânica), também conhecidos como ecopads. Dois ou três discos reutilizáveis são suficientes para uso por muitos meses, pois eles são laváveis e resistentes. Além disso, como são artesanais, podem ser facilmente comprados por pequenos produtores ou até feitos em casa com um pedaço de tecido velho. O preço médio de um ecopad é R$ 5,00.

Bônus: Você pode encontrar estes produtos aqui.

Tônico facial de chá verde Ingredientes
 1 XÍCARA DA infusão do CHÁ verde
 ¼ de XÍCARA de vINAgre de MAÇÃ (de preferêNCIA orGÂNICO)
 5 gotAS de OE de LAVANDA ou tEA tree (opcioNAL)
Modo de preparo e uso
Deixe o CHÁ NA infusão em ÁGUA quente por 15 minutos, depois ACRESCente o viNAGre e, por último, quANDO A solução estiver friA, coloque o OE. MANTENHA NA GELAdeIRA em UMA emBALAGem SPRAy. Utilize com o AUxílio de discos reutilizÁveis de crochê ou tecido. Este tônico tAMBÉm serve PARA os CABElos, experimente APÓs o último ENXÁGUE.

Esfoliantes
Muitos dos esfoliantes mais comuns contêm micropartículas ou microesferas de plásticos (microplásticos), geralmente feitos de polietileno que acabam poluindo lagos, rios e mares quando fazemos o enxague e levam à morte de animais aquáticos ou retornam à sua mesa em forma de alimento (se você consome animais marinhos). Um estudo da Universidade de Ghent, na Bélgica, concluiu que uma pessoa pode ingerir mais de 11 mil pequenos pedaços de microplástico por ano, trazendo riscos à saúde. Em alguns países o uso deste material foi proibido, mas ainda está longe de ser banido em muitos outros. Para reduzir este impacto, nos resta aqui evitar consumir marcas que agreguem plásticos na composição dos esfoliantes e recorrer novamente ao poder das soluções naturais.

Esfoliante de chá verde Ingredientes
 Pó DA erVA PARA CHÁ verde (bem fininhos)
 Óleo de semente de UVA
 OE de LAVANDA
Modo de preparo e uso
Misture tudo em UMA vASILHA, APLIQUe no rosto LAVADo com movimentos circulAREs, deixe AGIR por 10 minutos e ENXAGUE com cuiDAdo.

Esfoliante de aveia Ingredientes
 1 CS de AVeIA em flocos ou do resíduo de leite de AVeIA
CASeiro (o que fiCA NA peneirA)
 1 CC de óleo veGETAL (olivA, coco, semente de UVA)
 1 CC de SAL
Modo de preparo e uso
Misture tudo em UMA vASILHA, APLIQUe no rosto LAVADo com movimentos circulAREs, deixe AGIR por 10 minutos e ENXAGUE com cuiDAdo.

Maquiagem
Ao pensar em maquiagens, também podemos economizar em embalagens e dinheiro, evitar comprar de marcas que abusem de químicos ou que testem em animais ou usem componentes de animais. Uma boa alternativa, é fazer alguns produtos em casa.

Pó Finalizador Translúcido

Ingredientes
 1 CC de AMIdo de milho ou FARinhA de ARARUTA ou féculA de BATATA
 CANELA ou CACAu em pó ou os dois
 3 A 5 gotAS de OE de LAVANDA
Modo de preparo e uso
Em UMA vASILHA, coloque o AMIdo e VÁ AdicioNANDO A CANELA e/ou o CACAu ATÉ chegAR A umA cor MAIs próximA do tom DA SUA pele. Por último, coloque o OE. ArmAZEne em um pote com tAMPA e APLique no rosto com um pincel PARA pó comPACTo ou esponjA. Se quiser FAZer UMA QUANTIDADE gRANDE, considere ADquirir um conserVAnte NATURAL (feito com benzoATO de sódio e soRBATO de potÁSsio, por exemplo e você pode encontRAR em LOJAS de produtos NATURAIs).

Blush Ingredientes
 ½ CC de AMIDo de milho ou FARinhA de ARARUTA ou féculA de BATATA
 ¼ CC de CACAu em pó
 1 CC de FARinhA de beterrABA
 5 gotAS de OE de LAVANDA
Modo de preparo e uso
Em UMA VAsilHA, coloque o AMIdo, o CACAu e A FARinhA de beterRABA e misture. Você pode coloCAR MAIs CACAu ou FARinhA de beterrABA ATÉ cheGAR AO tom que deseJA. Por último, coloque o OE. ArMAZene em um potinho com tAMPA e APlique no rosto com um pincel PARA MAQUIAGEM. Se quiser FAzer UMA QUANTiDAde GRANDE, considere ADquirir um conserVAnte NATURAL (feito com benzoATO de sódio e soRBATO de POTÁSsio, por exemplo. É bem FÁCIl de encontRAR).

Removedor de maquiagem mais fácil do mundo
Dois ingredientes muito simples e que você JÁ tem em CASA podem substituir os deMAQuilANTES líquidos industriALIZADos e lenços umedecidos (resíduos totALmente desnecesSÁrios). São eles o óleo de coco e o AZeite de olIVA. EscolhA um dos dois, molhe um disco reutilIZÁVel (ecoPAD) e PASse no rosto ATÉ remover completAMEnte A MAQuiAGEM.

Glíter
Há pouco tempo os fãs da purpurina entenderam a real composição e impacto deste produto tão utilizado nos carnavais, festas temáticas e infantis. Foi um choque perceber que estávamos poluindo os oceanos e prejudicando seres marinhos e a nós mesmos indiscriminadamente com uma quantidade absurda de microplásticos (plástico em sua menor versão). As partículas de cerca de 1 mm² podem ser feitas com PVC, PET, filme metalizado ou todos esses materiais misturados. Muitas pessoas ainda precisam ser conscientizadas a respeito deste perigo ambiental, por isso, é preciso reforçar a urgência em falar sobre este assunto e replicar este conhecimento. Para brilhar com consciência é preciso abandonar o glíter comum, que causa incontáveis danos à natureza e aos animais, há algumas substituições possíveis.
– Adquirir um glíter biodegradável como os da Zim Color ou da Pura Bioglitter;
– Comprar glíter comestível;
– Fazer o seu próprio glíter caseiro. Há receitas com ágar- ágar (gelatina de algas marinhas), sal, açúcar.

Corpo
Esfoliante de café Ingredientes
 1 CS de CAFÉ COADo (o que ficA no COADor)
 1 CS de AÇÚCAR (opciONAl)
 1 CS de óleo de coco
Modos de preparo e uso

Cuidados pessoais e higiene

Misture tudo em UMA VASILHA, Aplique no rosto LAVAdo com
movimentos ciRCULARES, deixe AGir por 10 minutos e eNXAGUE.
Desodorante em creme Ingredientes
 10 g de bicARBONAto de sódio
 10 g de AMido de milho
 10 ml de óleo de coco
 6 goTAs de OE de TEA tree
Modo de preparo
Misture os ingredientes ATé viRAr uMA pASTINHA. GUARDE em um recipiente com TAMPA.
Desodorante spray
Ingredientes
 50 ml de leite de MAgnésiA
 2 CS de ÁGUA MINERAL destiLADA ou FILTRADA
 5 goTAs de OE de LAVANDA ou MELALEUCA
Modo de preparo
Em UMA VAsilhA, coloque o leite de MAgnésIA, A ÁGUA e o
óleo essencIAL e misture. ArMAzene em um FRAsco com
59
TAmpA SPRAY.

Repelente de mosquitos
Você sabia que os repelentes industrializados são danosos para o meio ambiente e para a nossa saúde? Seus componentes, se usados em excesso, podem causar irritações, dermatites e até problemas neurológicos, em casos extremos. Também são inapropriados para crianças menores de 2 anos. É por isso que precisamos pensar em uma substituição e logo abaixo está uma receita natural alternativa.

Repelente natural Ingredientes
 100ml de álcool de cereais
 1 CS de cravo da Índia
 20ml de óleo vegetal (ex.: coco ou semente de uva)

Modo de preparo
Em um pote de vidro escuro, coloque o álcool e o cravo e deixe descansar por 4 dias, chacoalhando 2 VEzes por dia nesse período. Depois disso, coe, adicione o óleo e guarde em um recipiente spray. Chacoalhe sempre antes de usar.
Obs.: essa versão tem menor eficiência que os industrializados e não elimina 100% das chances de picadas de mosquitos. Outras formas de prevenção são evitar deixar água parada, usar ventiladores e mosquiteiros.

Esmaltes
Falar de esmaltes é sempre delicado, pois, além de envolver a autoestima, diz respeito a um produto cosmético inserido com bastante sucesso à nossa cultura. Aqui está a questão: os esmaltes contêm substâncias perigosas, como DBT, tolueno, formaldeído, e a indústria ainda não conseguiu nos disponibilizar uma alternativa natural. Todas as substâncias químicas citadas podem parar em suas pálpebras e pescoço. Além disso, seus recipientes têm baixa reciclabilidade, pois é preciso deixá- los integralmente limpos antes de levá-los à coleta para que sejam reciclados.
O que nos resta, então? Tentar cortar este hábito. Unhas naturais, bem limpas e hidratadas são igualmente lindas e mais saudáveis. Esqueça fortalecedores de unhas e esmaltes que prometem milagres. Mantenha suas cutículas sempre hidratadas com ingredientes simples, como óleos de amêndoa, semente de uva, oliva ou rícino e manteiga de cacau. Escolha o que estiver mais acessível e massageie suas cutículas todos os dias.
Perfumes
Infelizmente, os perfumes que costumamos ver e comprar em grandes perfumarias também podem conter ingredientes nocivos, como as fragrâncias sintéticas. A melhor opção é buscar um pequeno produtor para ter certeza de que um perfume é natural, pois eles vão dizer exatamente quais os componentes utilizados, geralmente, álcool, água destilada e óleo essencial.

Descarte de embalagens
Se você ainda não desapegou dos cosméticos tradicionais ou se está esperando que eles acabem para fazer a transição (que é o certo), lembre-se de separar seus recipientes dos resíduos orgânicos, limpá-los e destiná-los corretamente à coleta seletiva. Outra opção é recorrer à famosa O Boticário, que tem um projeto chamado BotiRecicla cujo objetivo é recolher embalagens e recipientes de cosméticos de qualquer marca e utilizá-los na produção de novos itens com a mesma finalidade. Basta levá-los a qualquer loja perto de você.

Bônus: Marcas de cosméticos naturais nacionais

Feminino Ancestral

Depilação

Barbeador
Barbeadores convencionais são feitos de plástico, difíceis de serem reciclados, oferecem risco aos catadores e têm baixa vida útil. Como alternativa sustentável, os tradicionais barbeadores de inox estão novamente ganhando visibilidade e nos mostrando que é mais consciente ter um item reutilizável e durável. Com eles só é preciso trocar a lâmina e levá-la com cuidado para a reciclagem. Como são muito pequenas e cortantes, o ideal é que as lâminas sejam acumuladas e descartadas em uma latinha que, por sua vez, seja levada para a coleta seletiva da sua cidade. É importante colocar um aviso escrito “cuidado” ou “cortante” para preservar a saúde de quem faz a coleta dos recicláveis Um barbeador de inox custa a partir de R$ 15,00.

Pré e pós depilação
Em vez de utilizar produtos específicos, opte pelo óleo de coco puro ou misturado a algum óleo essencial, como o de lavanda, tanto antes como após o barbear ou depilação.

Hastes Flexíveis
A imagem do cavalo-marinho ao lado, apesar de triste, ilustra perfeitamente o impacto do uso das hastes flexíveis. Elas estão presentes em número absurdo em praias do mundo todo, e lá permanecem por muitos anos, assim como todos os demais plásticos. Por mais absurdo que pareça, muita gente ainda faz o descarte deste item em vasos sanitários, o que nos possibilita compreender o porquê do cenário ilustrado anteriormente. As versões mais ecológicas das hastes são feitas de papel reciclável e biodegradável e podem minimizar este impacto. No entanto, não custa lembrar que elas devem ir para o cesto de lixo e não para o vaso sanitário. O preço médio da embalagem de hastes ecológicas é R$ 5,00.

Bônus: Você pode encontrar hastes ecológicas aqui.

Escovas de dentes
As escovas de dentes tradicionais de plástico levam em torno de 400 anos para serem decompostas e são pouco recicladas. Já a versão de bambu demora apenas algumas semanas para ser decomposta quando é descartada diretamente no solo. O cabo pode ser levado à composteira ou virar um tag identificador da sua planta e as cerdas (geralmente, de náilon) devem ser retiradas com um alicate e levadas à coleta seletiva. O bambu é uma planta que se renova rapidamente sem precisar de plantio, sua extração é menos prejudicial ao meio ambiente e ele ainda possui um antibacteriano natural que protege a escova. Uma escova de bambu custa, em média, R$ 15,00.

Pasta de dente de hortelã Ingredientes
2 CS de óleo de coco
3 CC de BICARBONAto de sódio
8 goTAs de OE de hortelã-PIMENTA 2 goTAs de OE de TEA tree
10 goTAs de steVIA

Modo de preparo
Em UMA VAsilhA, misture bem todos os ingredientes. Coloque em um recipiente com TAmpA e use UMA colher PARA colocAR o pó em SUA escOVA de dente.

Pó dental de juá Ingredientes
2 colheres de CAFÉ de CASCA de JUÁ em pó 1 colher de cAFÉ de CRAVO em pó
1 colher de cAFÉ de CANELA em pó

Modo de preparo
Em UMA VAsilhA, misture bem todos os ingredientes. Coloque em um recipiente com TAmpA e use UMA colher PARA colocAR o pó em SUA escOVA de dentes.

Menstruação
Os absorventes íntimos descartáveis externos e internos apresentam diversos aspectos negativos: possuem plástico, algodão quimicamente tratado, papel siliconado, adesivo e outros químicos em sua composição, contêm muitas embalagens, a produção é extremamente poluidora e podem ocasionar infecções e alergias. São tantos químicos que, em algumas mulheres, resultam em um sangramento mais forte. Sua produção não é sustentável, pois, além do petróleo e da celulose, utiliza o algodão, cujo cultivo intensivo demanda grandes quantidades de água, pesticidas e fertilizantes.
Cada mulher utiliza em torno de 10 absorventes íntimos em cada ciclo menstrual, o que significa 10 a 15 mil absorventes descartados desde a menarca até a menopausa. Estes itens, obviamente, não podem ser reciclados e acabam nos aterros e lixões, sem contar os que nem chegam a estes locais.
Como alternativas a esse ofensor do planeta e dos corpos femininos, o mercado tem lançado produtos muito mais duráveis e acessíveis. Uma verdadeira revolução da menstruação! Abaixo vamos ver algumas delas e avaliar qual(is) incorporar na nossa jornada sustentável!

Absorventes de tecido

Cuidados pessoais e higiene

Os absorventes de pano demandam menos recursos para serem produzidos, podem ser adquiridos de pequenos produtores, podem ser feitos com 100% de algodão orgânico (ou seja, com produção sustentável), têm vida útil superior a 2 dois anos, não causam irritações e deixam a pele respirar. Além disso, são ofertados em diversos tamanhos (do mini ao super). A depender do fluxo menstrual, 4 a 5 unidades são suficientes para passar um ciclo. Para higienizá-los, basta deixar de molho por algumas horas, lavar somente com sabão de coco e secar ao Sol ou utilizar a máquina de lavar – só não levar à secadora.

Coletor menstrual
Os coletores ou copinhos menstruais são feitos em silicone hipoalergênico e são muito seguros. O coletor deve ser inserido no canal vaginal e pode ser usado por até 12 horas. Após esse período, basta dispensar o sangue, lavar com sabão neutro e voltar a usar. Antes e depois de cada ciclo deve-se ferver em uma panela esmaltada ou no micro-ondas com uma caneca por 5 minutos.
Os coletores dão muita liberdade às mulheres menstruantes, pois podem ser usados na praia, piscina e em esportes. Este recurso relativamente novo tem excelente relação custo-benefício, seu preço pode variar entre R$45,00 e R$90,00 (o equivalente a 6-7 meses de absorventes descartáveis) e tem validade de 3 a 10 anos, a depender da marca. Fazendo esta opção, basta escolher uma marca que seja transparente em seus processos produtivos e aproveitar a sensação de menstruar sem gerar resíduos.
68
Bônus: Você pode encontrar estes produtos aqui.

Calcinha absorvente
As calcinhas absorventes possuem um tecido tecnológico que absorve o fluxo menstrual, mantendo a pele seca e livre de bactérias. Parece mágica! Elas são finas como calcinhas convencionais, são muito práticas e podem ser usadas de 4 a 5 horas. As calcinhas podem ser colocadas de molho por alguns minutos e depois lavadas normalmente com um sabão neutro ou de coco, só não se pode levá-las à secadora ou passar ferro nelas. Já existem marcas 100% brasileiras e com cadeia produtiva sustentável e também já é possível encontrar biquínis e maiôs com a mesma tecnologia. A única desvantagem ainda é seu alto custo. Os preços variam de R$55,00 a R$90,00.
Sabemos que mudanças que envolvem hábitos tão íntimos e cheios de tabus como a relação com o próprio sangue causam estranhamento, mas com bons motivos (saúde íntima e meio ambiente) vale a consideração. Dá para começar tentando um ou dois dias do ciclo, com uma ou outra dessas alternativas e ir sentindo como o corpo responde e como a rotina é afetada. Um período de adaptação é necessário, mas, durante este processo, ciclos são ressignificados e uma nova conexão surge.

Bebês
É importante tirarmos um tempo para refletir também acerca da produção de resíduos quando falamos em bebês. Uma criança, geralmente, usa fraldas durante os 3 primeiros anos de vida e, neste período, cerca de 4.000 fraldas descartáveis são utilizadas. O destino comum a todas elas são os aterros e lixões, onde permanecem por até 500 anos, oferecendo riscos à saúde pública e prejudicando o meio ambiente. As fraldas descartáveis são compostas por celulose, plástico e químicos, o que pode causar danos à pele do bebê.

Fralda ecológica
Infelizmente, o hábito de paninhos nos bebês foi substituído pelo mais prático e mais poluidor. A boa notícia é que as fraldas de pano reutilizáveis estão voltando a ser utilizadas, mas ainda em ritmo lento. As fraldas ecológicas são compostas por tecidos naturais, revestidas de poliéster e não vazam. A versão mais elaborada lembra a “calça enxuta” muito usada antigamente. Há versões atuais com até 25 botões, o que permite que sejam utilizadas em diversas fases do bebê. Relativamente à lavagem, sabão neutro e de coco são os melhores aliados e o gasto de água é significativamente menor do que é necessário para a produção das descartáveis em grandes indústrias. Estima-se que aproximadamente 25 fraldas ecológicas são suficientes para contemplar todo o período em que o bebê necessita delas. E, eventualmente, elas ainda podem ser doadas para serem utilizadas por outras crianças. As fraldas ecológicas custam entre R$ 50,00 e R$ 70,00.

ROUPAS E ACESSÓRIOS

Por trás de manequins e vitrines glamurosas, a indústria da moda reúne práticas que a colocam como a segunda indústria mais poluente do mundo. Utilização de matérias- primas de procedência duvidosa, dispêndio de 327 bilhões de litros de água anualmente, emprego de mão de obra análoga à escrava e sacrifício de 1 bilhão de animais por ano para fabricação de itens de couro são alguns dos fatos de que se tem registro atualmente.
Muitas confecções simplesmente queimam ou descartam em aterros toneladas de peças que não foram vendidas, apenas uma pequena parte é destinada à doação ou à reciclagem. No mundo todo, 90 milhões de toneladas de fibras são consumidas pela indústria têxtil e boa parte delas são sintéticas, o que significa maior impacto no meio ambiente.
A boa notícia é que há também muitos novos empreendimentos buscando criar uma moda de maneira sustentável, inovando em materiais e difundindo o conceito Slow Fashion (produção desacelerada e com respeito aos trabalhadores). Seguindo esta linha, nós consumidores temos a responsabilidade de sermos mais conscientes e de não nos deixarmos levar pelo poder persuasivo deste mercado. Abaixo listamos 8 passos importantes para o despertar desta consciência.

Pesquise o histórico das marcas – busque saber quem fez suas roupas. As grandes marcas que você costuma comprar são transparentes quanto ao modo de produção e aos materiais que utiliza? Cobre delas transparência. O aplicativo Moda Livre mostra marcas que estão envolvidas em trabalho análogo ao escravo.
Avalie preços – quanto mais barata a roupa, maior a chance de alguém estar sendo explorado na cadeia produtiva. Não se iluda com lojas super baratas de preço único e questione as que vendem peças com valores absurdamente caros, pois estas também podem ter histórico de trabalho análogo à escravidão. Desde as lojas mais baratas, como Marisa e Renner, até as mais chiques, como M. Officer e Zara, há muitos casos de exploração de mão de obra. Na contramão destes grandes players, pequenos produtores oferecem um preço mais justo e, geralmente, são mais transparentes quanto à sua produção.
Compre menos – dica simples, porém difícil para muita gente. Com certeza, possuímos mais itens do que precisamos, mas acabamos esquecendo e enjoando de algumas se compramos demais. Não há mal nenhum em repetir roupas, isso mostra que você fez uma boa escolha, então use o que tem até rasgar!
Reforme – transforme peças, busque inspirações na internet ou aquela costureira de seu bairro e veja como dar uma cara nova ao que você já possui. Um vestido longo pode virar uma saia, uma blusa do pai pode ser transformada em cropped, calças em shorts e por aí vai! O Pinterest é uma excelente opção de inspiração.

Peça emprestado – quando for a algum evento especial, viajar ou, simplesmente, quiser inovar no cotidiano, recorra aos familiares e amigas(os) e ouse nos looks. E, claro, cuide bem das peças que pediu!
Alugue ou entre em um clube de roupas – já conhece plataformas ou as tradicionais lojas de aluguel de moda? Antigamente, as lojas só alugavam roupas de festas, mas isso mudou! Há novos negócios que oferecem opções para qualquer ocasião, do básico ao mais sofisticado. Algo que tenha vontade de usar uma vez, mas que custa caro demais para ter um novo, pode ser seu por uma semana ou mais. Legal, não acha? Experimente as plataformas Meu Loc, Roupa Livre e a Sou Outside.
Compre em brechós – roupas de brechós não têm “carga negativa” como algumas pessoas dizem. Elas têm história e nos permitem aumentar a vida útil dos tecidos.
Frequente bazares de troca – busque eventos e grupos de troca de roupas perto de você para substituir aqueles itens antigos ou que você já enjoou por outros que serão novidade em seu guarda-roupa.
Escolha tecidos com menor pegada ecológica – geralmente, algodão, linho e lã são os mais naturais, mas deve-se optar pelos orgânicos ou com selos de produção sustentável. Já existem tecidos que vêm de matérias- primas ecológicas não convencionais e vale a pena pesquisar marcas que estão buscando soluções alternativas à indústria tradicional. Diversas opções de couro, por exemplo, já foram descobertas – de kombucha, cacto, maçã. Evite couro animal de qualquer tipo!

A maioria das roupas que consumimos possuem plásticos na sua composição: poliéster, acrílico, elastano, poliamida, nylon, viscose, acetato. Estes componentes vão sendo liberados nos oceanos e são consumidos pelos seres aquáticos. Por isso, é tão importante optar pelos tecidos mais naturais e orgânicos. A Plastic Soup Foundation elenca algumas formas de reduzir a liberação e a consequente poluição dos oceanos pelas microfibras presentes nas roupas. Listamos elas logo abaixo.

1 – encher a máquina de lavar ao máximo; 2 – utilizar sabão líquido ao invés do em pó; 3 – lavar em baixa temperatura;
4 – evitar lavagens longas.

Conheça mais sobre moda sustentável em Moda Limpa, Fashion Revolution, Modefica, A Moda pela Água e sempre se questione: Quem fez minhas roupas?

Dicas de reforma

COMPRAS

A partir de agora vamos falar de uma grande vilã do consumo: a sacola plástica. Ela é responsável pelo entupimento de bueiros e córregos, contribui para a retenção de lixo e inundações em períodos de chuva, polui mares e rios e é uma ameaça à vida dos animais. Espécies aquáticas e pássaros, frequentemente, são encontrados presos em sacolas ou com seus estômagos cheios delas. No mundo todo, são consumidos cerca de 1 milhão de sacos plásticos por minuto! Ademais, por serem feitas de polietileno (derivado de petróleo), demoram cerca de 200 anos para serem degradados.
Portanto, precisamos urgentemente pensar em alternativas a este produto que está tão presente em nossa rotina e que, infelizmente, ainda é dificilmente recusado por muitas pessoas. A boa notícia é que, com um pouco de esforço, podemos reverter esse quadro. Vamos nessa!

Legumes, Verduras e Frutas
Para gerar menos lixo quando for às compras, sugerimos um kit básico de retornáveis. Algumas sugestões são: saquinhos de tecido, potes de vidro (como os de azeitona, palmito, óleo de coco), vasilhas de plástico resistentes e uma sacola retornável (encontre aqui).
 Nos mercados, peça caixas de papelão para colocar suas compras;
 Opte por carrinhos de feira que já têm a sacola embutida;
 Leve saquinhos de tecido para comprar os itens a granel, como feijões e farinhas;
 Leve embalagens de vidro e outros potes com tampa para grãos. Vá guardando os recipientes de azeitona, palmito, geleia, entre outros e, após as compras, seus alimentos já estarão bem acondicionados;
 Para legumes, frutas e folhosas, os saquinhos feitos em tela são excelentes;
Quando os itens forem grandes como berinjelas, abobrinhas e cenouras, não use sacos. Simplesmente, não há necessidade de colocá-los em um saco somente para a pesagem.
Ao comprar itens que, necessariamente, tenham embalagens, opte pelas de papel ou biodegradáveis, como de bagaço de cana-de-açúcar, fécula de mandioca e fibra de coco.

Industrializados
Já sabemos que precisamos evitar, cada vez mais, itens desta categoria. Não é impossível e quanto mais reduzimos o consumo de processados, mais saudável é nossa alimentação e menos resíduos são gerados. Quando não der para evitar, há a possibilidade de optar por embalagens de papel ou papelão, a exemplo da farinha de trigo, do café, do macarrão e do açúcar.

Supermercados x Feiras
Sempre que possível, prefira feiras e mercados de pequenos produtores às grandes redes de supermercado. Os mercados menores têm mais opções livres de agrotóxico e a granel, o que te permite comprar com seus próprios recipientes e em quantidades que atendam à sua necessidade. Além disso, você estimula a economia local.

Shoppings x Feiras
Evite grandes centros comercias sempre que possível. Hoje, em diversas cidades, já existem feiras muito bem organizadas que oferecem roupas, acessórios e utilidades, geralmente, produzidos por produtores menores. Nestes ambientes, é mais fácil evitar embalagens desnecessárias, conhecer melhor os produtos e sua cadeia de produção. Em grandes shoppings, ficamos mais expostos a lojas não tão transparentes e mais suscetíveis à compra de produtos de origem duvidosa.
Busque fontes de informações alternativas, redes sociais e amigos que indiquem feiras e eventos que acontecem em sua cidade.

Faça sua própria ecobag
Para fazer sua sacola, que pode ser utilizada para compras e até para um passeio, você só vai precisar de um item: uma camisa usada. Veja abaixo duas opções bem fáceis. A primeira somente com amarrações e a segunda com costura.

Sem costura

Com costura

PRESENTES

Vamos combinar que saquinhos de plástico coloridos não são as opções mais lindas, além de não ecológicas, para presentear alguém que gostamos, não é mesmo? As embalagens para presentes de plástico são também muito frágeis, o que, muitas vezes, impossibilita a reutilização. O legal é que temos opções bem simples para tornar nossos presentes mais sustentáveis e diferenciados.
Os lenços de tecido ou furoshiki são lindos e deixam o presente com um toque especial. Servem para qualquer presente e podem ser dobrados e amarrados de diversas formas, basta usar a criatividade. Na tradição japonesa, quem presenteia leva o lenço de volta para casa, mas deixá-lo para a(o) presenteada(o) também é legal. Já os papéis (papelão, pardos, jornais e revistas) são outros materiais que nos permitem usar muito a criatividade. Há inúmeros tutoriais de como fazer caixas e sacolas na internet, mas uma simples dobradura pode transformar a embalagem em uma obra de arte.

“QUAndo eu me conheço, descubro AS minhAS NECESSIDADES, não compro coiSAS fúteis, não me frustro, QUANTO menos me frustro, MAIs PAZ no CORAÇão eu sinto. Tudo é um ciclo.” (@FILOSOFIAMINIMALISTA)

PETS
Sabemos que levar o pet para passear é complicado sem os sacos, mas, já que estamos nos propondo a uma vida com menos plásticos, precisamos conversar sobre isso também. Vai parecer estranho no começo, mas não é impossível. As opções são as seguintes: sacos de papel de padaria, jornal ou revistas e folhas caídas de árvores.
As duas primeiras opções devem ser armazenadas e guardadas para os passeios e para a limpeza em casa e a última opção recolhida e utilizada na rua (escolha praças e canteiros que tenham folhas grandes).
Outra preocupação associada aos bichos de estimação são os brinquedos de plástico. Ao invés deles, prefira os de cortiça, bambu, plástico reciclado ou use apenas gravetos. Veja logo abaixo dicas de brinquedos fáceis e ecológicos.
Garrafas pet e tecidos também podem virar excelentes distrações para seus bichinhos. Outra brincadeira legal é fazer cubos de gelo com frutas dentro.
Na higiene do seu bicho, busque xampus com ingredientes mais naturais, com menos embalagens e em barra. No que tange às coleiras, evite as de plástico ou couro e opte por um material mais ecológico como a fibra de bambu. Já na alimentação, arrisque fazer biscoitos caseiros com aveia e banana, por exemplo, e evite ainda mais embalagens e ingredientes duvidosos para a saúde do pet.

Kit Lixo Zero

NA RUA

Seu kit lixo zero será aquele que te acompanhará em suas idas à praia, restaurantes, viagens, trabalho ou qualquer outro lazer ou compromisso. A ideia, é claro, é reduzir ao máximo a quantidade de resíduos descartáveis que você pode produzir ao consumir fora de casa. Aqui estão algumas opções, mas você pode montá-lo de acordo com sua rotina e gostos. O mais importante é abrir a cabeça para perceber a quantidade de resíduo desnecessário que passa por você ao longo do dia. Vamos nessa?
 Canudo reutilizável em bambu, inox, slicone ou vidro;
 Copo reutilizável em inox, silicone retrátil ou plástico resistente;
 Talheres em bambu, inox ou plástico resistente;
 Guardanapo de tecido;
 Garrafa (tem para todo gosto, as retráteis são ótimas opções por economizar espaço);
 Marmita/vasilha (boa para levar ou encomendar comida nos lugares).

Optando por versões retráteis ou maleáveis você pode fazer seu kit ficar bem compacto e caber em qualquer bolsa, mochila ou porta-luvas. Uma vez que você cria o hábito de levar seu kit para todos os lugares, fica mais fácil não os esquecer. No começo pode ser um pouco difícil, mas não se pressione tanto!

Dicas de itens para compor seu kit lixo zero

Na rua

MEIOS DE TRANSPORTE

A seguir estão as opções de meios de transporte desde o mais ao menos ecológico. Caminhar e andar de bicicleta serão sempre as alternativas mais saudáveis para você e para o meio ambiente. Quando estas opções não são possíveis, o transporte público é a próxima opção. Ônibus, metrôs, trens, VLT’s e BRT’s, dentre os meios que consomem combustíveis, são os que geram menor impacto, pois levam um número maior de pessoas. Depois vêm os carros. Ao utilizar carros, opte pelo etanol ao abastecer, pois esta é a opção que gera menos impacto na camada de ozônio, e, além disso. Priorize oferecer, pedir e aceitar caronas e compartilhá-lo com outras pessoas. Se você possui um carro, perceba por quantas horas ele fica parado em um estacionamento durante o dia. Agora, imagine como seria se mais pessoas compartilhassem seus veículos? Quantas outras deixariam de comprar novos?

VIAGENS

Questões relativas à sustentabilidade também devem ser consideradas enquanto viajamos. Para fazer viagens com uma menor pegada ecológica, respeitando os locais e os residentes, veja algumas dicas na próxima página.

Viagens

Transportes
Se vai de avião, já há sites de buscas, como o Skyscanner, que indicam os voos com menor emissão de CO². Sempre que possível, opte por eles.
Ao desbravar o seu local de passeio, sempre faça o máximo possível andando (explorar assim é muito mais legal) ou de bicicleta (muitas cidades turísticas têm opções de aluguel acessíveis). Se não puder, recorra aos meios de transporte públicos.
Não compre passeios que utilizem animais como meios de transporte. Muitos lugares oferecem cavalos e burros como atrações, mas o fato é que os animais, muitas vezes, são mal alimentados e são explorados por várias horas em um só dia.

Hospedagem
Ao escolher hotéis, pousadas e hostels, busque aqueles que adotam práticas que demonstrem respeito ao meio ambiente. Alguns possuem painéis de energia solar, coletam água da chuva, têm suas próprias hortas, reciclam e cuidam dos espaços verdes e das pessoas no seu entorno. Essas informações estarão sempre disponíveis nos sites das hospedagens que cultivam boas práticas.

Mala

Viagens

Faça malas reduzidas somente com o essencial. É importante fazer um planejamento para evitar excessos, pois quanto mais peso carregamos, mais combustível é demandado dos meios de transporte que utilizamos.
Souvenires
Evite voltar para casa com muitos objetos do local que visitou. Quando você compra lembrancinhas demais, além de uma mala mais pesada, você gasta mais. Caso queira muito comprar, escolha os pequenos produtores locais e evite objetos com matérias-primas como conchas de praia e couro. Não é ecologicamente prudente retirar coisas da natureza apenas para enfeitar a geladeira ou colocar as chaves. Prefira experimentar a culinária local, pequenos restaurantes e feiras. Estas experiências são muito mais interessantes do que coisas materiais.
Cuide do seu resíduo
Tenha sempre com você seus fones de ouvido, copo ou garrafa e talheres e recuse os que te dão no avião. Não imprima passagens ou cartões de embarque, baixe os aplicativos das empresas e tenha os comprovantes na tela do celular. Se for fazer sua própria comida, opte por pequenos mercados, leve suas sacolas ou busque por caixas nos locais. Nos pontos turísticos, recolha seu lixo e não deixe nada além de pegadas. Em alguns locais, como parques nacionais, não se pode deixar nem resíduos orgânicos, então, leve de volta cascas de frutas que levar para o seu lanche. Não leve conchas, pedras ou flores que encontrar no caminho, leve apenas lembranças.

FILMES E DOCUMENTÁRIOS

Okja – Netflix
Mickey Mouse Goes to Haiti – Youtube Minimalismo – Netflix
Nosso Planenta – Netflix
Oceanos de Plástico – Netflix

Planeta Oceano – Youtube What the Health? – Netflix
A História das Coisas – Youtube Sustainable – Netflix Cowspiracy – Netflix

APLICATIVOS

Bike Itaú/Tembici – plataforma de aluguel de bicicletas barata e disponível em algumas capitais do país;
Blablacar – compartilhamento de viagens, ou seja, você pode oferecer ou
procurar caronas;
Cataki – para saber onde há catadores e cooperativas próximos;
Desrotulando – te dá a ficha com dados sobre composição, processamento, aditivos químicos e ingredientes controversos através do rótulo do produto;
Ecosia – é o Google ecológico, pois as pesquisas feitas são contabilizadas para a plantação de árvores;
Nossa Energia – incentiva a diminuir os gastos com energia elétrica;
Nossa Água – fornece dicas de como economizar, possui uma calculadora
de banho e até jogos;
Plantit – ajuda a criar sua própria horta em casa;
Tem Açúcar? – rede social para facilitar empréstimos de objetos nas

FIM DA JORNADA?

Ufa! Chegar até aqui não foi fácil, né!? Mas, espera um pouco, aqui não é o fim! Agora é o começo de uma transformação muito maior e que vai gerar muitas outras mudanças e ressignificações. A verdade é que você vai perceber que a cada dia vão surgir novos comportamentos, novas provocações e novas exigências. Nosso planeta está mudando e ele precisa do nosso pensamento crítico e que estejamos sempre trazendo novos questionamentos à tona.
Precisamos questionar e repensar o modelo de capitalismo no qual vivemos e mostrar que nossa lógica de consumo não precisa ser linear como nos ensinaram (comprar, usar e descartar), mas, sim, circular (comprar, usar, reusar, reparar, emprestar, doar, retornar), fazendo as coisas durarem mais e entendendo o verdadeiro valor delas. Essas mudanças só são possíveis quando abrimos nossa cabeça e nos mantemos vigilantes.
Comece como puder, não queira a perfeição. Um pouco de rotina lixo zero, um pouco menos de carnes, um pouco mais de caminhadas, um pouco de atenção nas marcas que escolhe, um pouco menos de lojas de departamento e por aí vai. Antes algo do que nada! Nosso planeta e nós precisamos de mais cuidado. Quando o planeta está bem, nós também ficamos bem. Está tudo conectado, será que ainda não deu para perceber? Sempre que duvidar que suas ações causam impacto no mundo, lembre-se do efeito borboleta: o bater das asas de uma borboleta, uma ação tão simples, pode provocar uma reação em cadeia e

“Mesmo que NADA mude, se eu mudo, tudo MUDA” (Honoré de BALZAC)

ÍNDICE POR CATEGORIA

Bem-vinda(o) à suajornada sustentável
4
Opanorama dosresíduosnoBrasil
5
Oqueésustentabilidade?
7
OsR’sdeumavida commenoslixo
8
Vocêéumconsumidor consciente?
10
Adianta mudar sozinho?
12
Itenslaváveissãomaisecológicosqueosdescartáveis?
14
Ingredientesessenciaisdodiaa dia sustentável
15
Ingredientespara evitar
18
Casaelimpeza
23
Acondicionamentodealimentos
27
Alimentação
29
Compostagem
40
Lixeiras
43
Água
44
Energia
44
Cuidadospessoaisehigiene
47
Roupaseacessórios
72
Compras
77
Presentes
82
Pets
84
Na rua
85
Meiosdetransporte
87
Viagens
88
Filmesedocumentários
91
Aplicativos
92

ÍNDICE DE RECEITAS

Vinagredemaçã
17
SabãodeCocoemPó
24
Amaciantedecoco
24
Detergentedecoco
25
Desinfetantecítrico
25
Hambúrguerdebeterraba
32
Leitedepastadeamendoim
33
Sucodemelãocremoso
36
Saladacomcascademelão
36
Leitedecaroçodemelão
36
Xampudebicarbonatodesódio
49
Condicionador devinagredemaçã
49
Esfoliantecapilardeaçúcar
50
Tônicocapilardecravoealecrim
50
Tônicofacial decháverde
52
Esfoliantedecháverde
54
Esfoliantedeaveia
54
PóFinalizador Translúcido
55
Blush
56
Removedordemaquiagem
57
Esfoliantedecafé
59
Desodoranteemcreme
59
Desodorantespray
59
Repelentedemosquitos
60
Pastadedentedehortelã
66
Pódental dejuá
66

DIYComposteira
41
DIYRoupas
76
DIYEcobag
81

Para continuar acompanhando meu trabalho, acesse:

@medi.dani @lojinhasustentavel

[email protected] [email protected]

Leave a comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *